Em casa, o Boa Esporte empatou com o Goiás por 0 a 0 e, nas cobranças de pênalti, perdeu por 3 a 2.

 

A classificação para a terceira fase da Copa do Brasil não veio, mas luta e determinação não faltaram. Em casa, o Boa Esporte empatou com o Goiás por 0 a 0 e, nas cobranças de pênalti, perdeu por 3 a 2.

Titular da meta mineira, o goleiro Luan Polli teve atuação destacada, além de manter o placar zerado no tempo normal, defendeu dois pênaltis. No entanto, o bom desempenho do jovem atleta de 23 anos não foi suficiente para classificar a equipe. “Fizemos um bom jogo, nossa equipe é jovem, mas suportamos bem o Goiás, tivemos inclusive chances de sair com a classificação ainda no tempo normal. Infelizmente nos pênaltis não deu para nós, consegui defender duas cobranças mas eles foram mais competentes e saíram com a classificação. É uma pena porque tínhamos potencial para ir mais longe, mas faz parte, vida que segue”, avaliou o jogador, que disputou pela primeira vez na carreira a Copa do Brasil.

Apesar da eliminação, Luan vem mostrando serviço com a camisa 1 do Boa. Em cinco jogos disputados, sofreu gol em apenas uma partida. Satisfeito com suas atuações até aqui, o goleiro revela o “segredo” para a média baixa de gols sofridos. “Para mim, o segredo é trabalhar duro todos os dias e, consequentemente, as coisas acontecem. Estabelecer metas, estar comprometido com o trabalho do grupo e do clube é a chave”, concluiu.

Relacionados

comentários