Com três bolas salvas em cima da linha, partida termina com o placar de 1 a 1.

• atualizado em 14/05/2017 às 09:48  

De Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteúdo

Se o Campeonato Brasileiro mantiver o ritmo de sua primeira partida, o torcedor pode comprar um remédio cardíaco e se preparar para fortes emoções. Na jogo de abertura disputado neste sábado, no estádio do Maracanã, no Rio, Flamengo e Atlético Mineiro fizeram um grande duelo – com direito a três bolas salvas em cima da linha – e terminaram empatados por 1 a 1.

Após somar o primeiro ponto, o Flamengo encara o Atlético Goianiense no próximo sábado, fora de casa. Antes, contudo, faz um jogo decisivo contra o San Lorenzo, na Argentina, pela última rodada do Grupo 4 da Copa Libertadores – um empate classifica o time carioca.

Mesmo com as importantes partidas no meio de semana, os técnicos Zé Ricardo e Roger Machado praticamente escalaram força máxima. A novidade no Flamengo foi a presença de Matheus Sávio como substituto de Diego. Já o Atlético Mineiro teve Carlos César e Felipe Santana nos lugares dos lesionados Marcos Rocha e Leonardo Silva.

O jogo de abertura do Brasileirão estava cercado de expectativas. Afinal, reunia dois campeões estaduais, terceiro e quarto colocados na última edição da competição e fortes candidatos ao título deste ano. E o duelo apenas confirmou a ansiedade pelo início do torneio.

Flamengo e Atlético Mineiro fizeram um jogo extremamente disputado e ofensivo, com inúmeras chances criadas, três bolas salvas em cima da linha e a aguardada estreia de Vinícius Júnior, grande promessa do time carioca de apenas 16 anos e que já é monitorado por grandes clubes europeus.

A partida teve ritmo lento apenas durante os primeiros 23 minutos. Foi justamente aí quando Matheus Sávio recebeu na esquerda e cruzou na direção de Guerrero. A bola, então, atravessou a área, Victor não defendeu e morreu nas redes sem que ninguém desviasse.

A partir daí, mesmo jogando no Maracanã, o Atlético Mineiro partiu ao ataque e deixou espaço para o Flamengo, que quase ampliou aos 43 minutos, após boa finalização de Guerrero. A bola saiu por pouco.

Com Cazares no lugar de Otero, o Atlético Mineiro veio para o segundo tempo. E, logo no primeiro minuto, o equatoriano fez grande jogada e chutou rasteiro, mas Rafael Vaz salvou em cima da linha. Parecia replay, mas era um novo lance: oito minutos depois, o meia-atacante finalizou e novamente o zagueiro “defendeu” quase dentro do gol.

Depois de tanto pressionar, o Atlético Mineiro chegou ao merecido empate aos 13 minutos, quando Elias recuperou bola no meio de campo e armou rápido contra-ataque. Robinho, então, entregou para Fred, que deu linda assistência para o volante – ex-Flamengo e Corinthians – chutar no ângulo, sem qualquer chance para Alex Muralha.

Apático no segundo tempo, o Flamengo despertou após o gol. E quase chegou ao segundo com Réver, ao aproveitar bate-rebate e desviar em direção ao gol. Com Victor já fora do lance, Fábio Santos salvou quase dentro do gol, na terceira boa “defesa” dos jogadores de linha durante o jogo.

Vinícius Júnior ainda foi a campo nos minutos finais, mas pouco teve tempo de criar. As duas equipes, ainda assim, seguiram desperdiçando oportunidades e terminaram o jogo com um grande empate, sacramentando um grande início de Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 x 1 ATLÉTICO-MG

FLAMENGO – Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco (Ederson); Márcio Araújo, William Arão e Matheus Sávio (Renê); Berrío (Vinicius Júnior), Éverton e Paolo Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

ATLÉTICO-MG – Victor; Carlos César, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Adilson, Elias e Otero (Cazares); Robinho (Maicosuel) e Fred (Rafael Moura). Técnico: Roger Machado.

GOLS – Matheus Sávio, aos 23 minutos do primeiro tempo; Elias, aos 13 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Trauco e Everton (Flamengo); Ralph (no banco de reservas), Rafael Carioca e Fábio Santos (Atlético Mineiro).

ÁRBITRO – Jailson Macedo Freitas (BA).

RENDA – R$ 1.874.265,00.

PÚBLICO – 42.575 pagantes (50.220 no total).

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

comentários