No peito e na raça! O Atlético derrotou o Racing por 2 a 1 e está classificado para as quartas de final da Libertadores. Não foi um primor de apresentação mas o Galo se superou na noite desta quarta-feira, no Independência. O alvinegro teve dificuldades contra o experiente time argentino e conquistou com uma forte pitada de emoção a vaga na próxima fase.

Lucas Pratto foi o grande nome da partida. O argentino jogou com a raça que é preciso em verdadeiras decisões como essa desta quarta-feira. Ele fez de tudo! Dos pés dele saiu o cruzamento para o gol de Carlos que abriu o marcador no Horto.

Pratto também viu Lisandro Lopez deixar tudo igual cobrando pênalti. O argentino viu que o time se abateu com a igualdade dos hermanos e não se intimidou. Correu, deu carrinho e ainda cumpriu a missão para a qual foi contratado: fazer gols.

Após cobrança de falta de Rafael Carioca, o “Urso” meteu a cabeça na bola e fez o gol que carimbou o passaporte alvinegro para o grupo dos oito melhores da Libertadores 2016.

De quebra, o argentino ainda desperdiçou um pênalti que foi defendido por Ibanez nos minutos finais da etapa complementar.

Clássico nas quartas!

O próximo adversário do Atlético na Libertadores é um velho conhecido. Mais uma vez, o São Paulo cruzará o caminho alvinegro na competição. O Tricolor se classificou ao eliminar o Toluca, do México, nas oitavas. No primeiro jogo, os paulistanos venceram por 4 a 0. Na volta, em solo mexicano, os comandados de perderam por 3 a 1.
Por ter melhor campanha, o Galo tem o direito de fazer o segundo jogo em casa. O primeiro duelo acontecerá na capital paulista.

O jogo

No Independência lotado, Atlético e Racing se estudaram nos minutos iniciais de partida. Os dois times tocaram a bola e buscavam encontrar os pontos fracos dos esquemas propostos pelos treinadores.

Como esperado, o Galo tinha mais posse de bola no Horto. Os argentinos se defendiam, tentavam administrar a posse de bola e buscavam o contra-ataque.

A primeira oportunidade alvinegra aconteceu aos seis minutos. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Leo Silva na entrada da área. O capitão arriscou o chute e Ibañez fez boa defesa.

Os racinguistas responderam aos oito em boa jogada realizada nas costas de Marcos Rocha. Pillud lançou Lizandro Lopes na esquerda. O atacante invadiu a área livre e bateu para o gol. A bola passou com perigo à direita da meta de Victor.

GOL DE CARLOS!

O Galo abriu o marcador aos 15 minutos. A estrela do técnico Diego Aguirre brilhou no Horto. Ele apostou no atacante Carlos e se deu bem. Após Lucas Pratto brigar pela posse de bola pela direita, ganhar o lance e cruzar para a área, Carlos bateu de primeira e venceu o goleiro Ibañez.

PÊNALTI!

A resposta argentina demorou apenas cinco minutos. Após boa troca de passes pela esquerda, Leandro Donizete derrubou Lisandro Lopes na área. O árbitro não titubeou e deu o pênalti. Lisandro foi para a cobrança e deixou tudo igual no Horto.

O resultado afastou a possibilidade da decisão da vaga nos pênaltis e obrigava ao Galo a vencer o jogo. Uma vez que o empate com gols favorecia ao Racing.

O gol desestabilizou o Galo. Os jogadores começaram a errar muitos passes e o nervosismo apareceu. Bom para os argentinos que adiantaram a marcação o que complicou a saída de bola alvinegra.

O Atlético só conseguiu chegar ao ataque novamente aos 32. Após boa troca de passes, Lucas Pratto recebeu na entrada da área. O argentino limpou o lance e bateu para o gol. A bola saiu à direita da meta do Racing.

O restante do primeiro tempo mostrou um Galo nervoso, com dificuldades para sair da marcação imposta pelos argentinos que não davam espaço para os homens de criação. Em consequência, a bola não chegava redonda para os atacantes.

Uma chance pra cada lado!

O final do primeiro tempo teve boas chances para ambos os lados. Aos 44, Marcos Rocha cruzou da direita. Robinho cabeceou para o gol. Bem colocado, Ibáñez fez a defesa. Em seguida, Pillud cruzou da direita e Lisandro Lópes desviou de cabeça. A bola tirou tinta da trave alvinegra.

Pressão

O Atlético retornou dos vestiários com mais volume de jogo. O time alvinegro tinha mais posse de bola, Júnior Urso passou a ajudar mais no ataque e o Galo partiu para o abafa. Aos sete minutos, Lucas Prato recebeu pela direita e acertou um chutaço de fora da área. A bola explodiu no travessão. No rebote, Robinho tentou de cabeça mas a bola saiu pela linha de fundo.

Aos nove minutos, o Racing deu o troco. Romero recebeu pela esquerda, invadiu a área e bateu para o gol. Victor, no reflexo, fez uma grande defesa. NO lance seguinte, novamente pelo setor de Marcos Rocha, Acuña cruzou rasteiro, Lisandro Lopez desviou e Victor mais uma vez salvou o Galo.

Mudança no esquema

Aguirre deixou o Atlético mais ofensivo em campo aos 24 minutos. Precisando de um gol e da vitória, o comandante uruguaio sacou Leandro Donizete para a entrada de Clayton.

GALO NA FRENTE!

Dessa vez quem brilhou foi Lucas Pratto. Aos 27 minutos, quando o Galo tinha dificuldades para furar a retranca do Racing, o Urso botou o Atlético na frente. Rafael Carioca cobrou falta para a área e o argentino meteu a cabeça para colocar o Galo de novo na briga.

Com a vantagem, Aguirre optou por fechar o meio de campo. Sacou Robinho, que não fez uma boa partida, para a entrada do volante Eduardo. A situação do jogo se inverteu. Quem passou a precisar de um gol no Horto era o Racing. O Galo optou por se defender e jogar no contra-ataque.

PÊNALTI!

Aos 35, o Atlético teve uma clara oportunidade de praticamente carimbar o passaporte para as quartas da Libertadores. Após escanteio pela esquerda, Léo Silva cabeceou e a bola bateu na mão do defensor argentino. O árbitro deu pênalti. Lucas Pratto foi para a cobrança e Ibanez fez uma grande defesa.

Os minutos finais de jogo no Horto foi de pressão total parte do Racing. Os argentinos precisavam de um gol, adiantaram a marcação e passaram a atuar no campo de ataque. O objetivo era arrumar um espaço nas linhas de defesa alvinegras. O Atlético jogava no contra-ataque. Teve a chance de matar o jogo com Junior Urso mas o volante alvinegro parou nas mãos de Ibanez.

O árbitro deu quatro minutos de acréscimo que foram neutralizados pelo Galo. Os argentinos tentaram a última cartada com uma bola alçada na área mas não tiveram êxito. O apito final foi o estopim para a festa da classificação.

De olho no caneco do Mineiro!

Agora, o Galo volta as atenções para a grande final do Campeonato Mineiro. No próximo domingo, às 16h, no Mineirão, os comandados de Aguirre precisam de uma vitória simples contra o América para levantar mais um caneco do Estadual. O Coelho joga pelo empate após vencer o primeiro jogo por 2 a 1, no Independência.

ATLÉTICO 2 x 1 RACING

Motivo: Jogo de Volta, Oitavas de Final da Libertadores 2016
Estádio: Independência
Data: 4 de maio de 2016
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)
Assistentes: Maurício Espinoza e Richard Trindad (URU)
Cartão amarelo: Donizete, Carioca, Júnior Urso (ATL); Romero, Bou, Acuña (RAC)
Público: 20.170 Renda: R$ 1.765.390,00
Gols: Carlos, 15min 1ºT; Lisandro López, 20min 1ºT; Lucas Pratto, 26min 2ºT

Atlético – Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete (Clayton), Rafael Carioca, Júnior Urso e Robinho (Eduardo); Carlos (Hyuri) e Lucas Pratto Técnico: Diego Aguirre

Racing – Ibáñez; Pillud, Vittor, Sánchez e Grimi; Noir (Milito), Videla, Aued, Oscar Romero (Gustavo Bou) e Marcos Acuña (Pereira); Lisandro López Técnico: Facundo Sava

Por

Relacionados

comentários