Brancos usam cota reservada a negros para ingressar no curso de medicina da UFMG

Um dos casos mostrado pela reportagem, estudante era ex-modelo e possui pele e olhos claros e cabelos loiros.

• atualizado em 24/09/2017 às 11:23  

Foto: Bruna Carvalho/Divulgação/UFMG

O Jornal Folha de São Paulo publicou uma reportagem neste domingo, 24, que estudantes brancos estão usando as contas destinadas a negros para ingressar na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Na reportagem cita um dos casos do estudante Vinicius Loures, 23, calouro de medicina. Além de ser ex-modelo, Loures possui pele e olhos claros e cabelos loiros.

Ele teria se autodeclarou negro na inscrição, o que lhe concedeu os benefícios do sistema de cotas instituído em 2009 pela UFMG. O estudante foi procurado pela “Folha de S.Paulo”, mas disse que não iria se posicionar.

A UFMG confirmou que já estar ciente de possíveis desvios em seu programa de ações afirmativas, e ainda informou que vai aperfeiçoar o sistema de cotas e investiga denúncias que foram oficializadas.

comentários