A prática regular evita problemas comuns em temperaturas mais baixas, como lombalgias, hérnia de disco, artrite e artrose.

 

O outono é uma estação que tem por características dias curtos e noites longas, queda da temperatura e umidade mais baixa. É também marcado por um alto índice de desistência ou desestímulo por parte das pessoas em relação à prática de atividades físicas. Com o término do verão e das temporadas de praia e piscina, é normal que muitos abandonem seus treinos e voltem ao sedentarismo. ”Esse é um grande erro e infelizmente muito comum. A persistência é essencial para manter os resultados garantidos com o treinamento e uma boa saúde física, mental e cardiovascular. É muito importante dizer que com a chegada do frio o corpo tem uma predisposição para alguns problemas musculares, como lombalgias, hérnia de disco, artrite e artrose, que podem ser evitadas com a prática de atividade física”, explica a fisioterapeuta Vitória Goulart, doutora em saúde da mulher e fundadora do Projeto Mães em Movimento.

Os benefícios alcançados pela prática de exercícios físicos são muitos. Segundo um estudo publicado na revista Mental Health and Physical Activity, pessoas que estão habituadas a praticar 150 minutos de atividade por semana conseguem dormir melhor, manter o sono mais equilibrado, e até ficam mais alertas no decorrer do dia, em comparação com as outras que praticam pouco ou nenhum exercício físico.

Mas, de acordo com a profissional de educação física, Grazielle dos Santos, especialista em saúde da mulher e membro do Projeto Mães em Movimento, a nova estação exige cuidados específicos na hora de se exercitar e este momento é uma boa oportunidade para aproveitar o maior gasto calórico que se tem por causa das baixas temperaturas. ”Neste período, devemos ter mais atenção aos alongamentos e a fase preparatória para o início da atividade, já que a musculatura se encontra mais contraída, exigindo um melhor alongamento. Evitamos dessa maneira estiramentos musculares e lesões desnecessárias. Qualquer atividade deve ser iniciada de uma forma leve e no decorrer da sua execução aumentamos sua intensidade”.

A hidratação também é muito importante e não pode ser esquecida. Apesar de suar menos no inverno e com uma umidade relativa do ar mais baixa, o ressecamento das vias aéreas é muito rápido, exigindo assim uma maior hidratação, que deve acontecer antes, durante e depois dos exercícios.

Fontes:
Vitória Goulart, Fisioterapeuta, Doutora em Saúde da Mulher e criadora do Projeto Mães em Movimento. CREFITO 4-62152F

Grazielle dos Santos Figueira, Profissional de Educação Física, Especialista em Saúde da Mulher e membro do Projeto Mães em Movimento. CREF 6-20745G/MG

comentários