Exercícios previnem doenças cardiovasculares e respiratórias, diabetes, osteoporose, colesterol alto e dores articulares

 

No Brasil, o número de idosos com 80 anos ou mais pode passar de 19 milhões em 2060, um crescimento de mais de 27 vezes em relação a 1980, quando o País tinha menos de 1 milhão de pessoas nessa faixa etária. Em 2016, foram contabilizados, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 3.458.279 de idosos com mais de 80 anos.

Isso porque a expectativa de vida para os brasileiros hoje é de 74,9 anos. Mas, para se chegar a essa idade com saúde, é fundamental manter, além de uma alimentação saudável, a prática de atividades físicas, revela a profissional de educação física e especialista em saúde da mulher, Grazielle dos Santos. ”Quando propomos que nossos pais, avós, tios incorporem na sua vida um programa de atividade física, estamos plantando a semente da longevidade e qualidade de vida. Antes tarde do que nunca. Por anos, as gerações se preocupavam com o trabalho, o aumento da renda para trazer conforto para suas famílias. Mas para que nossas famílias vivam com mais saúde devemos nos ater a este fato”.

Os objetivos que se definem para um idoso ao aderir a um programa de exercícios é a manutenção da saúde, a prevenção de doenças, a melhora nas AVD´s (atividades da vida diária). ”A nossa intenção é cuidar do fortalecimento muscular, da flexibilidade, do controle das doenças cardiovasculares, diabetes, osteoporose, colesterol alto, doenças cardiorrespiratórias e dores articulares que são comuns com o envelhecimento do indivíduo”, explica a fisioterapeuta e doutora em saúde da mulher Vitória Goulart.

Com a liberação médica e um bom estado físico o idoso pode realizar qualquer atividade física e até mesmo diversos esportes, desde uma simples caminhada, bicicleta e natação, até musculação e alongamento O importante, segundo Grazielle dos Santos, é que as pessoas escolham a atividade que lhes dê algum prazer. ”Um ambiente de grupo, por exemplo, pode proporcionar um reforço social. Devemos também escolher alguma atividade que promova o bem-estar físico e mental, além da manutenção da saúde”.

As intensidades dos exercícios e a freqüência devem ser estabelecidas de acordo com o estado físico e os objetivos a serem alcançados com essa prática. Segundo o Colégio Americano de Ciências do Esporte, a prática de exercícios deve ser diária, começando com baixas intensidades e divididos em treinamentos aeróbios e de resistência muscular. Podem ser realizados de 3 a 4X por semana e ter duração máxima de 60 minutos. A fisioterapeuta Vitória Goulart conta que ”se o indivíduo não conseguir realizar esse treinamento de forma intermitente, ele pode ser realizado em tempos mínimos de 10 minutos ao longo do dia.”

Fontes:
Vitória Goulart, Fisioterapeuta, Doutora em Saúde da Mulher e criadora do Projeto Mães em Movimento. CREFITO 4-62152F
Grazielle dos Santos Figueira, Profissional de Educação Física, Especialista em Saúde da Mulher e membro do Projeto Mães em Movimento. CREF 6-20745G/MG

Relacionados

comentários