Quando pensamos nos grandes jogos da atualidade, é raro algum ter menos do que cinco gigabytes de tamanho. Games cada vez mais modernos, ultrarrealistas e com produções milionárias enchem as prateleiras todos os meses e quase monopolizam a atenção dos fãs. Mas e quem não tem um computador potente que suporte o ritmo e nem os consoles de última geração, o que fazer? As alternativas são muitas, e bastante interessantes.

A primeira saída é a nostalgia dos jogos da final da década de 1980 e 1990. Foi a porta para os games atuais, e muitos que fazem sucesso hoje foram baseados em produções dessa época. Como os jogos de Super Nintendo e afins são bem pequenos (não passam de cinco megabytes, por exemplo), qualquer internet consegue fazer o download desses e o seu computador não terá nenhum problema para rodar.

Independente da idade, é quase impossível não se divertir jogando Mario Bros ou Donkey Kong, por exemplo. Mesmo após muito tempo de lançamento, os consoles clássicos Mega Drive e Master System ainda continuam sendo vendidos.

Na ala dos colecionadores, as pessoas de meia idade se identificam muito com o Atari — que atualmente chega a ser uma relíquia para quem tem. Primeiro videogame de sucesso lançado, é possível adquiri-lo online com um preço acessível e relembrar como tudo começou com os pequenos bits. Difícil ter alguma nostalgia maior do que essa.

Se quiser voltar um pouco ao passado sem ser tão extremo e encontrar grandes jogos que marcaram época, o Counter-Strike é essencial. A primeira versão foi lançada em 2000, e esse pegou o auge dos games de lan house. Em primeira pessoa, apesar de não ser pesado e compatível com a maioria dos computadores, tem um gráfico decente e consegue passar algum ar de realidade. Além disso, oferece versão online que proporciona interação com outros jogadores.

Mesmo com os jogos modernos ocupando a maior parte do orçamento e tempo das produtoras, as empresas que fidelizaram o gamer em décadas passadas não esquecem do começo — tanto que no exterior a Sony e a Nintendo disponibilizam em suas plataformas online alguns clássicos. Mais um motivo para não ficar atrelado apenas ao que acontece no âmbito atual.

Com a febre dos smartphones, em que há cerca de 168 milhões em uso no Brasil, é possível encontrar boas alternativas através dos aplicativos. Afinal, eles estão ficando cada vez mais realistas e com suporte para reproduzir boa quantidade de informação e recurso. Há alguns revolucionários que não podem faltar na sua lista.

Lançado há alguns anos, quem nunca jogou Angry Birds? Por mais simples que ele possa parecer, é um game muito divertido e com várias fases diferentes para dar a sensação de continuidade. Mesmo em 2016, ainda é um dos jogos mais baixados entre os smartphones. Mais um que chama a atenção entre os aplicativos inovadores é o Pokemon Go. Em alta e como um dos mais baixados do mundo, o game é o pioneiro em sucesso no que se diz respeito a realidade aumentada. Segundo especialistas, ele é o começo de uma categoria que pode crescer muito no futuro próximo. Outro revolucionário em sua área, o PokerStars é o líder. Super prático e leve, oferece ao usuário vários modos de jogos diferentes que são indispensáveis para quem gosta de entretenimento no celular e até mesmo no computador.

Esqueça as placas de vídeo potente, processadores de última geração e PCs que são montados para se tornarem verdadeiras máquinas incríveis. O que importa, no fim das contas, é a diversão. E não dá para negar que há diversas alternativas para ocupar algumas horas de sua semana. Basta só ser criativo e pesquisar um pouco.

De Mirella Bittencourt

Reportagens relacionadas

comentários