Polícia Civil prende suspeito de matar o irmão em Guaxupé

Discussão entre irmãos por causa de som alto em residência foi o motivo do homicídio.

 

Homem teria matado irmão após discussão – Foto: Divulgação/Polícia Civil

Uma discussão entre irmãos, por causa de som alto em residência, foi o motivo do homicídio que vitimou Laércio Dias Gonçalves, 36 anos, no último domingo (20), em Guaxupé. O suspeito do crime, Juvenil Dias da Silva, 39, que até então estava foragido, foi localizado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), na manhã desta quarta-feira (23). No dia dos fatos, o filho do investigado, Lorran Chagas Silva, 19, foi preso em flagrante, acusado de envolvimento no assassinato.

As apurações da PCMG apontam que os irmãos se envolveram em uma discussão por motivos banais, em razão do som alto que Juvenil mantinha em sua casa e que teria incomodado a vítima, vizinha dele. “Levantou-se, por meio das investigações, que, iniciado o desentendimento, Juvenil solicitou ao filho Lorran que se dirigisse até sua casa e pegasse uma arma de fogo, que mantinha guardada. Ele atendeu o pedido do pai e o fato culminou com a morte de Laércio”, explica o delegado Marcus Piedade.

O delegado detalha que, inicialmente, o suspeito efetuou diversos disparos em direção ao veículo ocupado pela vítima, que chegou a sair do local. Ao retornar para sua residência, Laércio foi procurado por Juvenil, dando-se início a uma nova discussão. Nesse momento, o irmão disparou contra o peito de Laércio, que não resistiu ao ferimento e veio a óbito. O suspeito, evadiu. Já o filho dele foi conduzido à delegacia e autuado em flagrante.

As diligências da PCMG continuaram e, nesta quarta-feira (23), Juvenil foi localizado na casa de familiares, no bairro Vera Cruz, próximo ao local do homicídio. A autoridade policial representou pela prisão preventiva dele, que foi deferida pela Justiça. “Em depoimento, ele confessou, espontaneamente, sua participação no crime”, conta Marcus Piedade. Ele será indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e de modo que impossibilitou a defesa da vítima. O investigado foi encaminhado ao Sistema Prisional e está à disposição da Justiça.

comentários