Levantamento foi iniciado no mês passado e contou com a participação de todas as organizações locais interessadas

 

Em menos de um mês, 137 instituições uberlandenses participaram do inédito Censo do Ecossistema de Inovação de Uberlândia 2017. É o que revelam os primeiros resultados do levantamento realizado em julho e que foram divulgados pela Prefeitura de Uberlândia na tarde desta quinta-feira (9), durante o primeiro dia do Congresso Internacional de Tecnologia, Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade (Cities).

Segundo o censo, por exemplo, do total de respostas, 58 foram de startups. Cerca de 40% das empresas de pequeno porte preveem um crescimento superior a 40% no próximo ano. Isso ao passo em que 9,2% delas já têm faturamento projetado em mais de R$ 1 milhão.

Outras 47 respostas dentro da pesquisa foram enviadas por empresas diversas de base tecnológica.  Cerca de 10% delas, aponta também o censo, tiveram faturamento de R$ 50 milhões no último ano e 13% preveem crescimento superior a 40% para 2018 Por fim, a pesquisa mostra que 33% delas já investiram em startups no passado e que 39% pretendem investir a partir de 2018.

Todos esses dados foram apresentados em um painel no Cities pelo diretor de Inovação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo (Sedeit), Gustavo Maierá. Segundo ele, os dados liberados representam apenas uma amostra do que foi captado. Um consolidado com informações específicas ainda será publicado posteriormente. “Fizemos um pente fino do ecossistema. Ou seja, sabemos quem são e o que estão procurando. Mais que isso, conseguimos montar um mapa da inovação da cidade, que mostra organizações atuando com tecnologia em vários setores”, disse.

Censo inédito

O Censo do Ecossistema de Inovação de Uberlândia 2017 foi lançado no último mês pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo (Sedeit) com o objetivo de colocar Uberlândia de forma definitiva no mapa nacional de inovação.

Para a primeira edição da pesquisa, a secretaria criou um formulário online para levantar todos os atores e organizações que atuam e interagem na cidade com foco no desenvolvimento projetos e negócios. O formulário foi organizado abrangendo dez perfis de organizações que, dependendo da escolha, geraram entre cinco e dez perguntas – mais o preenchimento de identificação.

Participaram da pesquisa startups, empresas de base tecnológica, incubadoras, coworking de base tecnológica, associações/comunidades, instituição de ensino, hedge funds/ventures capital, órgãos de fomento e consultorias.

Uberhub

            Após apresentação preliminar de dados do Censo do Ecossistema de Inovação de Uberlândia 2017, foi lançado também a marca do ecossistema de inovação da cidade. O conjunto será intitulado de ‘Uberhub’.

Para aumentar esse ambiente, durante a noite, também está programada uma apresentação sobre ‘Estratégias de Desenvolvimento de Uberlândia’. No painel, falarão o secretario municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Dilson Dalpiaz, e o secretário municipal de Gestão Estratégia, Raphael Leles.

Evento inovador

O primeiro dia de Cities contou com muitas interações em eventos simultâneos. Além dos paineis principais, paralelamente, foram realizadas uma série de encontros para estimular estudantes, profissionais e investidores a inovarem na cidade. Um deles foi um DemoDay da 100 Open Startup, realizado na parte da tarde.

Cerca de 15 startups apresentaram os produtos desenvolvidos em público e para uma banca de avaliação (formada por investidores, representantes de empresas e etc). A partir disto, o empreendedores locais recebem avaliações que contam pontos na plataforma da 100 Open Startup e garantem pontução e reputação no ecossistema de inovação.

Durante todo o dia, também foram realizadas aulas demonstrativas de programação e robótica, bem como um Fórum de Educação, Sustentabilidade e Empreendedorismo.

Censo do Ecossistema de Inovação 2017
– 137 respostas válidas
Servirão para:
– Mapear o ecossistema de inovação
– Inspirar novos empreendedores a participar
– Criar políticas públicas direcionadas
– Aumentar a atração de investidores e parcerias
– Ampliar a visibilidade de Uberlândia no cenário nacional de inovação

comentários