Criança vítima de ataque à creche de Janaúba recebe alta em Belo Horizonte

Com a alta de hoje em Belo Horizonte, sobe para cinco o número de feridos na tragédia que puderam voltar para casa.

 

Janaúba/MG – A sala onde os alunos estavam tem grades na janela e teto de PVC, uma espécie de material plástico, também inflamável – Foto: Polícia Militar/Divulgação

O Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, deu alta hoje, 12, a mais uma criança vítima do incêndio na creche Gente Inocente, ocorrido em Janaúba, Região Norte de Minas, na quinta-feira, 5.

SAIBA MAIS

Professora que lutou e morreu no incêndio já tinha perdido filho por afogamento
Chega a 10 o número de mortes em tragédia em creche de Janaúba; 8 são crianças
Feridos em creche estão hospitais de Belo Horizonte e em outras cidades de Minas
Sedese e Servas intensificam auxílio às famílias das vítimas da tragédia em Janaúba

Conforme boletim médico divulgado há pouco pela unidade de saúde, que não revela os nomes dos pacientes liberados, a alta de hoje é de uma menina de cinco anos.

Permanecem internadas no João XXIII seis vítimas do incêndio, que foi provocado pelo vigia da creche, Damião Soares dos Santos. Segundo o boletim médico, das seis vítimas que seguem no hospital quatro são crianças. Duas têm quadro grave e duas, estável. Os outros dois pacientes são mulheres em estado grave.

Em Montes Claros, também na Região Norte do estado, continuam internadas oito vítimas da tragédia: seis crianças e dois adultos.

Com a alta de hoje em Belo Horizonte, sobe para cinco o número de feridos na tragédia que puderam voltar para casa. Das liberações, quatro ocorreram em Belo Horizonte e uma em Montes Claros.

Conforme informações divulgadas nesta quarta-feira, 11, pelo Hospital Odilon Behrens, na capital, instituição de saúde que também recebeu vítimas do incêndio, existe previsão de liberação de uma criança para os próximos dias.

Segundo informações de funcionários da creche e de acordo com as investigações da Polícia Civil, o vigia chegou à creche pela manhã, jogou líquido inflamável nas crianças, em si próprio e ateou fogo. Onze pessoas morreram no incêndio: nove crianças, uma professora e o autor do crime.

Relacionados

comentários