Ser um profissional de destaque é ter a chave de qualquer porta Parceria: Algo que deve ser bom para os dois lados.

• atualizado em 22/09/2017 às 14:30  

Vi recentemente no Facebook um texto coerente e realista de um dos meus melhores amigos dizendo: “Existem parcerias e parcerias”. A partir dessa frase (quase um desabafo) cheguei a conclusão de que é a mais pura verdade. No mundo mercadológico o que mais vemos são pessoas falando sobre parcerias, parceiros, ou seja, de colaboradores que geralmente fazem um trabalho para que ambas às partes ganhem no final. No entanto, essas situações só alcançam sucesso quando as duas partes trabalham juntas, em prol de um mesmo objetivo. Quando apenas uma parte trabalha ‘duramente’ e a outra ganha dinheiro, não falamos mais de uma parceria, mas sim de uma exploração velada.

Atualmente as grandes empresas têm em seu ciclo interno parcerias comerciais de suma importância e com cifras altíssimas em jogo. Mas repare que nestes casos as parcerias se desmancham rapidamente quando o que uma empresa deseja não acontece e assim, cada uma vai para um lado. Quando essas parcerias são mais próximas, ou de caráter civil e não mais jurídico (quando envolvem amizades, ou família) temos dois caminhos no final: o do sucesso dos dois, ou do fracasso de um e da vitória do outro. Isso porque vivemos em um mundo capitalista e o que as duas partes, ou às vezes uma delas deseja, é ganhar dinheiro através dessa parceria e isso não esta errado.

Como identificar?

Na maioria das vezes não sabemos como identificar o que realmente é uma parceria e o que pode se tornar uma exploração da mão de obra. Parcerias através de trabalho são realizadas por profissionais e por isso, tem que existir uma negociação em jogo, como um pagamento de uma quantia, mesmo que ela seja para a alimentação e custas com tranaporte público. Você não tem que pagar para trabalhar, a não ser que esse trabalho possa te dar um destaque e abra portas para outros trabalhos remunerados no futuro. Exercer sua profissão por amor também vale muito quando ela é remunerada e quem te chama, sabe que você se identifica com o seu ofício e que você faz sempre o seu melhor. Sendo assim, nem tudo deve ser feito de graça.

Se o empresário (mesmo que seja de pequeno porte) te convida para fazer um serviço e te considera um parceiro, ele deve no mínimo se lembrar que foi ‘contratado por alguém’ e por isso precisa dos seus serviços para ter éxito. Se ele já recebeu por isso, ele também sabe que você precisa sobreviver e que merece ser pago. Não acredite nos empresários que falam sempre a mesma frase: “Não tenho como te pagar porque me pagaram muito pouco”. Se ele presta serviço para alguém, mesmo que ele receba pouco por isso, ele precisa se programar dentro desse valor recebido para tirar uma quantia para usar com sua mão de obra.

Atenção sempre

Se esse parceiro for de uma empresa já consolidada (mesmo que por nome nos meios digitais ou fisicamente), ele não trabalhará para outras pessoas de graça e por isso, nem você deverá trabalhar de graça para ele. Não fique sem graça em cobrar ou estipular um preço, pois ser profissional nos dias de hoje, é ter a chave para abri qualquer porta. Não seja arrogante, ou mesmo insuportável também porque faz um trabalho diferenciado no mercado, não é por aí que você conseguirá sucesso.

Saiba ser humilde nos momentos necessários mostrando sempre que você está disponível, mas no fim das contas, com um preço estampado para oferecer para o mercado. Valorize os seus anos de faculdade, suas especializações e qualificações e tenha sempre em mente que se preparar custa caro e toma tempo. Parceria: Algo que deve ser bom para os dois lados. Ser um profissional de destaque é ter a chave de qualquer porta. Pense nisso e valorize sempre os parceiros que te estendem a mão para trabalhos (pagando justo) e sendo acima de tudo, humano com você.

Relacionados

comentários