Na coluna de Flávio Melo desta semana, leia: “Construindo sua morada”.

 

No artigo de semana passada “Seu corpo é sua morada” terminei com a seguinte questão: “Então porque não escolher com mais cuidado os alimentos que estão sendo utilizados para construir o corpo em que irá morar o resto da vida?”. Para responder esta pergunta é fundamental irmos a fundo na personalidade humana. Esse problema reside na maneira da pessoa refletir e os estudos científicos mostram que a pessoa só reflete sobre o que conhece. E o conhecimento pode ser sobre algo real, quer dizer, sobre a materialidade e a energia do mundo levando em considerações as leis da física. Ou o conhecimento pode ser embasado pelo irreal, pelas situações que se cria imaginariamente sem levar em consideração as leis físicas. Por exemplo, pode-se imaginar atravessando uma barreira de fogo e não se queimar. Ou mesmo se lançar ao espaço e voar como um pássaro; também é possível criar seres inexistentes, como por exemplo, uma baleia com asas. Essa mesma possibilidade de refletir e imaginar pelo irreal também permite a pessoa organizar sua vida e seu futuro, como quando monta um planejamento estratégico, por exemplo. Agora que já foi apresentado a possibilidade do ser humano refletir sobre o real e o irreal, como isso se encaixa na questão apresentada acima?

SAIBA MAIS

Opinião: Dieta a importância de se sentir acolhido
Opinião: Acolhimento e dieta
Opinião: Foco na Dieta

Quando a pessoa é dita inconsequente, quer dizer, não leva em consideração o desdobramento das suas ações e age apenas como se nada de ruim pudesse lhe acontecer, na verdade, está se movendo por meio de pensamentos irreais. Isto também ocorre na alimentação, quando a pessoa come apenas pelo prazer e não se atém ao efeito que isto está fazendo com seu corpo. Até porque ninguém engorda quinze quilos em um dia. O comum é levar meses, às vezes alguns anos, para que isso ocorra. Até percebe que seu corpo está mudando, que precisa aumentar o número das suas roupas, mas age como se não estivesse engordando. E quando decide emagrecer, também se utiliza dos mesmos pensamentos baseados no irreal. Por exemplo, levou anos para engordar, mas quer emagrecer em menos de um mês. Precisou de muitas e muitas horas de sedentarismo e muitas calorias para aumentar de peso, mas quer emagrecer com alguns minutos de atividade física e pouco tempo de controle alimentar. Mas como escapar dessa “armadilha”? Esse é o tema do próximo artigo, até semana que vem!

Reportagens relacionadas

comentários